Na Mesa de Natal Não Pode Faltar... Pudim Abade de Priscos

Como já sabem as tradições, para mim, valem imenso. A nível de gastronomia, apesar de gostar de experimentar coisas novas, o tradicional tem sempre um lugar guardado na minha mesa. O Pudim Abade de Priscos é desses pratos, talvez só o faça uma vez por ano, mesmo nas festas, mas tem sempre o seu lugar e veste-se a rigor para celebrar connosco. 
Cresci com este pudim, com o seu valor para a nossa zona e sem dúvida que me orgulho muito dele.
Quando fui desafiada pela Ana blog Casinha das Bolachas para participar neste desafio pensei muito no que deveria apresentar-vos e confesso que não foi fácil. Mas numa conversa com a minha mãe cheguei à conclusão que tinha de ser o Pudim Abade de Priscos, pela sua importância nas nossas raízes, nas nossas tradições.
Espero que vocês gostem tanto dele como eu.


Ingredientes:
- 400ml de água 
- 400gr de açúcar 
- 50gr de toucinho 
- casca de limão 
- 1 pau de canela 
- 1 cálice de vinho do porto 
- 15 gemas
- caramelo q.b.
- groselhas a gosto

Preparação:
Num tacho coloque o açúcar, a água, o pau de canela, a casca de limão e o toucinho cortado em pedaços.
Leve ao lume e deixe ferver até obter o ponto de pérola. Para saber o ponto, mergulhe na calda uma colher e levante-a, deve cair um fio resistente e na extremidade formar uma pérola. Para quem tiver um termómetro a temperatura deste ponto é 108ºC. Ao fazer a olho, deixe ferver durante uns 5 ou 6 minutos e faça o teste da colher. Esse tempo deverá ser suficiente.

Retire a calda do lume e deixe arrefecer um pouco.
Regue com o vinho do Porto e adicione a calda às gemas, em fio e sempre a bater com uma vara de arames. Coe o preparado com um passador de rede fina e coloque numa forma que já deve estar untada com caramelo. 
Leve ao forno a 180ºC, em banho-maria, durante cerca de uma hora. Retire, deixe arrefecer bem e desenforme.
Decore com groselhas ou outra fruta ao seu gosto.
Bom apetite.


A Ana convidou todos os bloggers a responder a algumas perguntas e assim todos ficarem a conhecer-nos um pouco melhor. Aqui ficas minhas respostas. 

Quem está por de trás deste blogue?
Ora está uma apaixonada pela cozinha (e pela comida). Uma curiosa sobre o tema que gosta de explorar e aprender sempre mais. 

Quando surgiu o gosto pela culinária?
Confesso que nem sempre fui assim. Quando era mais nova, com uns 14 anos, não sabia cozinhar e as minhas avós fartavam-se de me dar na cabeça por isso. Depois, a minha avó materna ficou doente com cancro e foi uma altura de nos unirmos e todos ajudarmos. Nessa altura tinha de cozinhar para ajudar a minha mãe e foi o que fiz. Comecei aos poucos e a reproduzir o que via a minha mãe fazer. Depois vieram os livros, a internet e o gosto foi crescendo até hoje. 

Quando e como surgiu o blogue?
O blogue surgiu em 2012. Na altura a ideia era outra. Eu queria um lugar para partilhar algumas receitas mas também viagens, restaurantes, hotéis, enfim uma série de coisas. O que é certo é que a cozinha levou a melhor, mudei o nome e neste momento o blogue é praticamente só receitas.
Para complementar criei à pouco tempo o Manual para Poupar mas ainda estou a tentar organizar-me com esse blogue e tentar que seja uma ligação a este com ementas semanais e dicas de poupança doméstica. 

Gostas desta época do ano? Se sim do que mais gostas?
Adoro esta época do ano. Sou absolutamente apaixonada pelo Natal. A energia que se viver, o espírito, a união... Apesar dos quase 30 anos ainda me consigo encantar com o Natal, com o brilho e toda a magia. Não passo sem a minha família reunida, aqueles que mais amo e que sei que estão sempre ali. É sem dúvida a minha parte favorita do Natal. 

Existe algum ingrediente que te faça lembrar o Natal? Qual?
A canela. O cheiro a canela remete-me imediatamente para o Natal! Posso estar num pico do verão, se entrar em casa da minha mãe e me cheirar àquelas caldas aromáticas com canela eu viajo logo para dezembro. 

Costumas cozinhar no Natal?
Cozinho imenso! Dedico-me às sobremesas e às entradas mas há alguns doces que têm de ser feitos pelas mãos da minha mãe. As rabanadas e os mexidos, ninguém faz igual à minha mãe.

O que nunca pode faltar na tua mesa de Natal para além de muito amor?
O amor está no topo da lista, sem dúvida. Mas depois não falta o bacalhau, o bolo rei, os sonhos, as rabanadas e os mexidos.

Que receita vais partilhar e porque razão a escolheste?
Escolhi partilhar com vocês a minha receita do Pudim Abade de Priscos. Porque é um doce tradicional da minha zona e é sem dúvida uma verdadeira tentação. Não o faço tantas vezes como gostaria mas, quer seja no Natal ou na passagem do ano, este pudim tem o lugar reservado na nossa mesa.