Da Andaluzia com Amor


Agora que Agosto terminou e voltamos às rotinas, chegou a hora de fazer um resumo das férias. Ou melhor, chegou a hora de fazer um resumo da nossa road trip, visto que as férias duraram bem mais. 
Quem me segue aqui no blogue e leu os diversos posts sobre viagens e férias, sabe que costumamos começar a organizar as nossas férias em Janeiro/Fevereiro. Nessa altura decidimos o destino, compramos as viagens de avião e marcamos os hotéis. É assim que funciona para nós e para o nosso orçamento e, até agora, sempre correu tudo bem.
Infelizmente este ano estávamos limitados e não nos era possível marcar nada antes de Abril. Nessa altura, quando começamos as pesquisas já os voos estavam demasiado caros para os locais onde queríamos ir e decidimos fazer uma road trip. O nosso carro é relativamente recente, bastante confortável e conduzimos os dois o que é óptimo para fazermos turnos. 
A Andaluzia era um destino que namorávamos há algum tempo e, por esse motivo, foi de forma bastante natural que decidimos que seria desta. Pesquisamos um pouco e encontramos hotéis dentro do orçamento e com parques de estacionamento (ou com acordos com parques) para facilitar a questão do carro. 

Agosto chegou e a primeira semana foi de preparação, o Bruno ainda estava a trabalhar e eu andava numa roda viva a preparar tudo o que necessitávamos, sempre com o pensamento de simplificar. 
Quando viajamos de avião, a limitação de bagagem ensina-nos a estabelecer prioridades e eu não queria, de forma nenhuma, levar a casa às costas apenas porque havia espaço no carro.

Bem, no dia 11 partimos bem cedo. Esperava-nos uma viagem de quase 700 quilómetros até Sevilha. Tudo correu na perfeição e chegamos a Sevilha por volta das 16 horas de Espanha. 
A cidade é incrível, linda de morrer, cheia de vida e de burburinho, bem como eu gosto. 
Foram cerca de dois dias e meio bem intensos, com visita ao Real Alcázar, à catedral, à Praça de Espanha (meu Deus que beleza de praça), à zona do rio e muitos outros sítios que vos mostrarei num post aprofundado sobre a cidade. Muitas comidinhas deliciosas, cerveja bem gelada e pessoas simpáticas. Ou tivemos muita sorte e encontramos todas as pessoas simpáticas da Andaluzia ou aquele povo sabe mesmo receber (estou inclinada para a segunda opção). É que em todas as cidades por onde andamos fomos recebidos e atendidos por pessoas extremamente simpáticas, que tudo faziam para perceber o nosso 'portunhol' e nos deixar à vontade. Nota máxima para todos eles, ficam no meu coração. 




De Sevilha partimos para uma breve estadia em Ronda, apenas uma noite. Esta foi a cidade mais pequena que visitamos, muito pitoresca e a ponte... ui a ponte é ainda mais incrível ao vivo do que poderia imaginar. Foi em Ronda que tivemos o melhor jantar, mas é difícil chegar a esta conclusão pois comemos muito bem em todos os nossos jantares. 

Falo de jantares porque, mais uma vez, quem me segue sabe que optamos por almoços simples e rápidos, como sandes, saladas e comida de rua e ao jantar é que aproveitamos para mergulhar de cabeça na comida local. E que jantares pessoas... que gastronomia maravilhosa. 



De Ronda partimos para o nosso terceiro destino - Granada. Quase mais valia dizer Alhambra, porque não visitamos muito mais. Chegamos a Granada ao final da manhã, mas muito cedo para o nosso check-in que estava marcado para as 14h. O que é certo é que fomos ao hotel e, mais uma vez, uma pessoa extremamente simpática conseguiu-nos um quarto e indicou-nos o parque de estacionamento. Num instante estávamos a almoçar e a apanhar o autocarro até a Alhambra onde passamos a tarde. Foi o ponto mais alto das férias, a Alhambra é algo que não se explica. Se o Real Alcázar em Sevilha é bonito (que é, não bonito, mas extremamente bonito), a Alhambra é o sol, é a estrela mais brilhante da nossa visita à Andaluzia. Saí cansada, a morrer de calor, mas apaixonada por recantos dos palácios e dos jardins. Não é à toa que é o monumento mais visitado de Espanha.


Só nos faltava Córdoba, a cidade onde me disseram que até o diabo tem calor. E disseram muito bem! Foi o local mais quente e seco por onde estivemos. A falta de humidade fez com que se notasse ainda mais o calor. Mas a cidade vale muito a pena, foi a minha favorita (sei que muita gente pode achar polémico). Achei Córdoba mais autentica, com as suas tradições e raízes mais presentes. Os pátios, as fachadas cheias de flores, o flamenco em todo o lado (e gratuito, vimos um show durante um jantar e não pagamos nem mais 1 cêntimo por isso). Por lá visitamos a mesquita catedral, muito bonita e que vale cada cêntimo. Consegue ser um choque para a mente, uma mesquita que agora é uma catedral e que combina a arquitectura moura com a arquitectura ocidental. 

Palmilhamos muito a cidade, passamos a ponte romana de Córdoba, onde foi filmado uma cena de Game Of Thrones, subimos a um miradouro, visitamos a pequena sinagoga, fomos à porta de Almodovar, ao templo romano, enfim, depois irei contar-vos tudo ao pormenor. 





Foi uma semana que passou rápido, a voar mesmo, e que não posso apontar um ponto negativo, acho que não me lembro de nada. Tivemos óptimas surpresas, fomos muito bem recebidos, comemos muito bem, divertimo-nos imenso e voltamos de coração cheio. Sabemos que ficaram muitos locais a visitar, muito por ver, por favor, por experimentar. Mas assim temos uma desculpa para voltar!

Hasta la próxima, Andalucía!




0 comentários:

Enviar um comentário