Palmiers e uma lembrança familiar

Hoje está um frio de rachar. Não sei se sou apenas eu que me sinto assim, mas tive frio todo o dia. Tenho os pés, mãos e nariz gelado. Estou a escrever este texto, a beber um chá bem quente e a pensar ligar o forno para fazer bolachas. Desta forma junto o útil ao agradável, aqueço a cozinha e fico com bolachinhas para a gula.
Hoje trago-vos uma simples sugestão, daquelas que já andam pelo blogue e já repeti várias vezes mas que nunca é demais lembrar. Trago-vos uns palmiers de massa folhada, com canela e açúcar, uma perdição e tão fáceis de fazer.
Mas trogo-vos também uma recordação, uma lembrança de família. Estão a ver aquele prato onde vos apresento os palmiers? Aquele prato é da minha mãe e tem mais de 50 anos. Era do meu bisavô que não conheci porque já faleceu à 52 anos, por isso podem imaginar. É velhinho, está lascado mas não sei porquê acho que faz qualquer docinho mais bonito. Sei também que a minha mãe fica toda feliz por eu usar estes pratos e travessas quando vou a casa dela. É uma herança familiar, pequenina mas que me deixa muito feliz e que espero se mantenha intacta (apesar das lasquinhas) por muitos mais anos. 


Ingredientes:
- 1 placa de massa folhada rectângular
- açúcar e canela a gosto
- 1 clara de ovo

Preparação:
Ligue o forno no 190ºC e tenha dentro um tabuleiro forrado com papel vegetal.
Desenrole a massa folhada.
Bata ligeiramente a clara de ovo com um garfo e pincele a massa folhada. Polvilhe a massa com açúcar e canela, eu gosto de ser generosa.

Enrole cada extremidade da massa até se encontrarem no centro da mesma. 
Coloque a massa no congelador durante uns 10 minutos, irá ajudar a cortar os palmiers.
Retire do congelador, corte em fatias e disponha-as num tabuleiro forrado com papel vegetal. 
Leve ao forno e deixe-os cozinhar até ficarem douradinhos.
Bom apetite.