Sericaia


Já escrevi um texto como este algumas vezes e acabei sempre por o apagar. É algo duro e complicado para mim e, por vezes custa a falar sobre isto. Mas há imensos casais a passar pelo mesmo e acho sinceramente que a troca de testemunhos é muito importante. Não sei se sabe mas, infelizmente cerca de 15% dos casais têm problemas de fertilidade. É um número bastante pesado e não há bem a certeza dele, já li notícias que falavam em 20% e outras 10%. Seja como for, é um número bastante grande e, nós fazemos parte dele. Vocês não imaginam o tempo que demorei até conseguir dizer esta frase. 
O meu maior sonho, a minha maior realização de vida sempre foi ser mãe. Gostava de ter três filhos, se a vida assim mo possibilitasse mas, nunca menos de dois. Quando decidimos constituir família, mesmo antes de casa, nunca me imaginei nesta situação. Sim, é como dizem, achamos que acontece sempre só e apenas aos outros. Os meses passaram e procuramos ajuda. A caminhada tem sido longa, a passo muito lento e dolorosa. Não é uma dor física mas uma dor psicológica que me mata aos pouquinhos. Não temos um diagnóstico, simplesmente não encontramos uma causa, algo que nos diga "é este o motivo pelo qual não conseguem engravidar". Teoricamente tudo funciona bem mas não acontece. Hoje foi dia de mais uma consulta, daquelas de "encher chouriços", da qual saímos sem rumo, sem plano, sem nada. Apenas com mais exames e nova consulta para daqui a quatro meses. 
Hoje enquanto esperava na sala pelas marcações as lágrimas teimavam eu querer saltar e tive de fazer um esforço enorme para as engolir e não demonstrar a ninguém, nem ao meu marido, que a minha maior vontade era sair num pranto dali para fora, o mais depressa possível. O SNS funciona de forma muito lenta e por vezes torna-se complicado aceitar esta lentidão de animo leve. 
Tenho-me dedicado à jardinagem para ocupar mais a minha mente e porque sinto que o contacto com as plantas me tem feito muito bem. E tem mesmo, pois consegui passar estes últimos meses de forma muito mais calma e isso deve-se ao facto de ocupar a minha mente com outras actividades.
Não tenho muito para vos dizer do nosso caso em particular. Estamos a ser seguidos num hospital, que não tendo medicina reprodutiva nos está a empatar, é isso mesmo que sinto, que estamos a perder tempo. Fizemos os exames que ali se fazem e tudo está normal. Agora andamos a adiar de quatro em quatro meses, de consulta em consulta. Sinceramente a próxima será para mim a gota, prefiro voltar à linha de partida mas procurar ajuda num hospital com mais meios. 
Vou levando a vida e os dias como consigo, hoje estou "mal", sinto-me deprimida, sem vontade para nada. Ontem também me senti-a assim, mas tenho dias muito bons e em muitos deles nem me lembro do assim. Sou feliz, já aqui vos disse muitas vezes, sou uma pessoa muito feliz mas, podia ser mais, bastava conseguir realizar o meu maior sonho...


Ingredientes:
- 1 litro de leite
- 10 ovos
- 300 gr. de açucar
- 100 gr. de farinha
- 1 casca de limão ou vagem de baunilha
- 1 pau de canela


Preparação:
Comece por ferver o leite, com a casca de limão e o pau de canela. Deixe-o arrefecer um pouco.
À parte separa as gemas das claras e bata as primeiras com o açúcar. Dissolva a farinha num pouco de leite e misture ao preparado de gemas, envolva bem. Adicione depois, em fio o restante leite. Mexendo bem para as gemas não cozerem e ficarem fracas. 
Bata as claras em castelo firme. Eu adiciono sempre umas pedrinhas de sal às claras antes de as bater em castelo. 

Adicione as claras ao outro preparado e misture tudo muito bem. 
Disponha em colheradas, numa peça de barro para ir ao forno. 
Polvilhe de canela e leve ao forno já quente a 220º, durante +/- 30 minutos mas convém fazer o teste do palito pois depende do forno.
Bom apetite!



12 comentários:

  1. Infelizmente essa é a realidade de muitos casais, eu conheço pelo menos um casal também nessa situação. Animo, e espero que consigas realizar o teu sonho de ser mãe.
    Quanto à sericaia, adoro, não fosse eu alentejana! :) Beijinhos e muita força.
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  2. :( oh minha querida... ler as tuas palavras fizeram-me rever tantas outras que ouço diariamente. Sou psicóloga clínica e tenho muitos casos de casais que estão a passar pela mesma situação.
    É normal essa sensação de que nos estão a roubar algo, de que algo nos falta... Infelizmente o SNS não faz tudo o que poderia fazer... Mas não desistas. Se esse é realmente o teu sonho então luta por ele.
    Ocupa a tua mente com actividades que te relaxem e distraiam e quando te sentires forte vai-te a eles! PENSAMENTO POSITIVO!!
    Beijinho grande e qualquer coisa é só bateres no blog ao lado :)
    http://asreceitasdamaegalinha.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Ah e a sericaia está com um aspecto divinal!! :)

    http://asreceitasdamaegalinha.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Não desanimes, o melhor que podes fazer é mesmo ter pensamento positivo e tentares (eu sei que é difícil) não pensar no assunto porque por vezes a ansiedade é o maior inimigo de uma gravidez. Conheço um casal na família que também vive o mesmo dilema que tu e por isso sei que deve ser mesmo difícil. Aconselho-te a procurares realmente ajuda num espaço especializado para serem mais detalhados e tentarem descobrir o que poderá estar a correr mal.
    Mas, acima de tudo, não desesperes e continua a tentar e a divertir-te enquanto tentas, não vivas obcecada com períodos férteis e outras coisas mais, descontrai que tudo irá correr bem, pode não ser hoje mas amanhã também é dia :) Força!
    E a tua sericaia está linda e deu-me vontade de experimentar :)
    Beijinhos ...
    Guloso qb

    ResponderEliminar
  5. Minha querida, nem consigo imaginar o que vocês possam estar a sentir, especialmente tu. Graças a Deus não tive esse problema mas tenho 3 primas que o têm. Aparentemente também não têm nenhum problema e não há razão aparente para não engravidarem. Duas delas estão já na casa dos 40 e vêem o seu sonho cada vez mais distante. A outra está na casa do 30 e tal e começa também a perder as esperanças. Nem todos os casos são iguais mas no caso desta última a família pressiona muito para que haja um bebé. Creio que os nervos, a ansiedade, a expectativa e tudo o mais tem sido um factor contra. Embora eu não seja especialista na matéria, e tenho noção que alguns casos só conseguem mediante tratamentos, costumo dizer-lhe para ela tentar descontrair e não pensar muito nisso. O stress e o nervosismo são grandes obstáculos. Conheço alguns casais que queriam muito e não desistiam e andavam extremamente stressados com isso e quando "desistiram", melhor dizendo, quando deixaram de se preocupar tanto com isso, aconteceu! Eu sei que não deve ser nada fácil deixar de pensar nisso, mas vale a pena tentar. Por isso tenho muita esperança que, quer contigo, quer com as minhas primas isso venha a acontecer. De qualquer modo, se tiveres possibilidade, tenta consultar outro médico. É sempre bom ouvir outra opinião. É uma pena este tipo de caso clínico ser tão dispendioso no privado. Aliás, tudo é dispendioso no privado. E é uma pena ainda maior que o público não esteja preparado para uma resposta mais ativa, mais rápida e eficaz (bolas, é para isto que descontamos??). É lamentável o tempo que fazem os casais esperar. Desejo-te muita força e muita sorte. Acredito que um dia ainda nos vais dar uma excelente notícia! Sericaia, tão bom! Hoje está um pleno dia de inverno, era uma sobremesa que calhava bem! Um grande beijinho

    ResponderEliminar
  6. Imagino o quanto deve ser difícil! Mas há que nunca perder a esperança! Pode levar algum tempo, mas vai conseguir realizar esse sonho. Conheço um caso em que estiveram longos anos a tentarem e nada e quando desistiram, aconteceu! :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  7. Muito força, tudo vai correr pelo melhor! Quando menos esperarem o sonho irá se concretizado! A sericaia ficou muito bem

    http://vinhosecompanhias.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  8. Infelizmente é uma situação comum, parece-me que até cada vez mais comum, conheço alguns casais jovens que se encontram na mesma situação e é frustrante. Mas tenho um casal amigo que conseguiu ao fim de 10 anos, nunca perderam a esperança e lá saiu um rapazote cheio de vida. Cada caso é um caso e acho que vocês não devem desistir do vosso sonho em formar uma família maior. Devem tentar e procurar outro médico ou pedir que vos encaminhem para um outro hospital onde haja essa especialização e possíveis tratamentos. Desejo com todas as minhas forças que consigam alcançar o que tanto desejam e forças para esse caminho duro. Beijinhos grandes. A sericaia parece-me muito bem, servia-me já desse prato!

    ResponderEliminar
  9. Passei para ver a receita da sericaia que comi há dias de passagem no Alentejo e li o que te está a acontecer. Nem sei o que dizer... apenas que não te enerves nem desanimes. Relaxa e vai tentando. Tenho uma sobrinha que está a passar pelo mesmo, mas não podemos dar dicas. Apenas desejamos que tudo corra bem e que haja uma força que vos ajude a resolver esse problema.
    Prometo fazer um casaquinho branco! Irei tricotá-lo com muito carinho!

    Vou fazer a sericaia porque o meu marido gostou muito... e é guloso!
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  10. Minha linda,
    Ser mãe também foi sempre o meu sonho e acho que é o sonho de 90% das mulheres, excepto daquelas que engravidam para depois negligenciarem os filhos, ou os tratarem mal.
    Eu sempre escandalizei a minha família, desde nova, pois dizia sempre que queria ser mãe, mas não queria ter marido. Acho que só isto já diz o quanto esse sonho era enorme.
    Engravidei tarde, aos 33 e tive o meu filho lindo que agora tem 15 anos. O meu sonho, tal como o teu, também era ter 3 filhos, era o número ideal, mas quem começa aos 33, não se pode dar a esses devaneios.
    Anos mais tarde, decidi que queria engravidar de novo e tentar a menina com que sempre sonhei. Fui ao médico, já aqui no Reino Unido e a médica foi tão negativa e tão assustadora em relação ao ter filhos depois dos 40, que eu fiquei desmoralizada e desisti. desisti de engravidar, mas não desisti de ter a minha menina e adoptei! Adoptei uma menina inglesa que veio cá para casa com quase 6 anos e fez 10 anteontem. Não te vou dizer que é fácil e muitas opiniões e frases feitas há sobre adopção, mas só quem adopta é que pode, de facto e com direito, dar opinião sobre tal assunto.
    Isto tudo para te dizer que desde que tenhas muito amor de mãe para dar, há sempre formas de realizares o teu sonho.
    Espero no entanto e rezo muito, para que o possas realizar da forma que todas as mulheres o sonham, ou seja, sentindo-o crescer dentro de ti.
    Tudo de bom e não desesperes, pois a esperança nunca pode morrer e acredito que vais conseguir ser mãe e completamente feliz e realizada.
    A sericaia está linda e eu adoro.
    Um grande beijinho e pensamento positivo,
    Lia

    ResponderEliminar
  11. A Receita da Sericaia está com um aspecto divinal de certeza que vou experimentar !
    Ao ler o seu texto não pude passar sem tentar dar umas palavras de alento, tenho um casal meu amigo que esteve precisamente na mesma situação e passado 2 anos de tentativas conseguiram um lindo rapazinho com muita saúde que hoje já tem 7 anos. O que interessa é não desistir e tentar sempre pensar pela positiva e mais tarde ou mais cedo eu acredito que as coisas acontecem. Beijinhos e muita força !

    ResponderEliminar
  12. Conheço familiares que tiveram o mesmo problema, infelizmente não é pouco comum... Chegaram a procurar adotar, mas tal como vocês o casal foi incansável na procura de ajuda médica para o problema e eventualmente 'conseguiu' engravidar. Duas vezes, até! Há esperança, muita força para os dois :)

    ResponderEliminar