Tarte de São Valentim

Por cá não somos grandes fãs do dia de São Valentim. Talvez por ser o nosso 11º dia juntos... No início do nosso namoro íamos jantar fora, com direito a flores e a prendas cheias de corações. Com o passar dos anos e, agora que estamos diariamente juntos vai a caminho de três anos, passamos a dar valor às coisas do dia a dia e desvalorizamos completamente o dia dos namorados. Ser feliz todos os dias (quando digo todos os dias não me refiro ao dia todo, mas sim, sou feliz todos os dias) isso sim, é o mais importante. Jantamos fora quando nos apetece, passeamos de mão dada sempre que conseguimos e as prendas materiais não são minimamente importantes para nós. Dia dos namorados tentamos que seja todos os dias, com respeito, união, amor, cumplicidade. Acordar juntos, tomar o pequeno almoço juntos, não sair de casa sem nos despedirmos e desejar um bom dia ao outro, são estas pequenas coisas do dia a dia que nos importam e não um dia no ano porque está marcado no calendário. Mas não digo com isto que Domingo não haja algo diferente. Todos os pretextos são bons para ir para a cozinhar e preparar uma refeição especial. Mas será um almoço em família, com os meus pais e preparado a quatro mãos (as minhas e as da minha doce mãe). 
Como sei que desse lado há pessoas muito românticas que precisam de inspiração, as receitas de hoje e amanha são dedicadas ao dia de São Valentim.


Ingredientes:
- 1 placa de massa folhada redonda
- morangos
- açúcar em pó para polvilhar
- 250ml de leite
- 3 gemas
- 100gr de açúcar
- 1 colher de sopa de amido de milho
- 1 vagem de baunilha de Madagáscar - Genuinum


Preparação:
Comece por ligar o forno nos 180ºC.
Unte uma tarteira com manteiga e forre com a massa folhada. Apare o excesso de massa. Com esse excesso cortei umas estrelas que colei a toda a volta da massa para fazer um trabalhado.
Por cima da massa folhada coloque papel vegetal e para fazer peso use feijões secos ou arroz. Coloque a tarteira no forno até a massa estar bem cozida. No meu forno demorou cerca de 25 minutos. Não se esqueça de guardar o que utilizar para fazer peso e voltar a usar quando fizer tartes.

Entretanto prepare o creme pasteleiro.
Num tachinho coloque o leite. Abra a vagem de baunilha e raspe as sementes, adicione tudo ao leite e leve ao lume. Deixe ferver.
À parte bata as gemas, o açúcar e o amido de milho. Se for necessário para ajudar a dissolver, junte um pouco de leite frio.
Assim que o leite ferver, retire a vagem de baunilha e misture-o às gemas, sempre a bater para não acabar com ovos mexidos. Leve novamente ao lume até engrossar. Reserve.

Quando a massa folhada estiver fria e o creme também pode montar a tarte. Coloque creme a gosto e por cima disponha os morangos bem lavados.
Antes de servir decore com açúcar em pó ou pode também aquecer um pouco de geleia ou compota e pincelar toda a tarte para ficar mais brilhante.

Bom apetite!